Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Neabi (Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas)

Histórico NEABI

O Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas –NEABI é composto por servidores e estudantes do IFSP e tem por objetivo a promoção de estudos e ações sobre a temática das relações étnico-raciais na instituição educacional, fundamentadas nas Leis Nº 10.639/2003 e 11.645/2008, que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino da História e Culturas Afro-brasileiras e Indígenas.

Tendo como base as leis 10.639/03 e 11.645/08, o Núcleo foi criado para que as questões étnico-raciais, como o racismo e a xenofobia, não fiquem à margem e sejam tratadas com a devida seriedade nas ações de ensino, pesquisa e extensão desenvolvidas no âmbito do Instituto Federal de São Paulo, ou que estejam a ele vinculadas. Isso significa zelar pelo fiel e adequado cumprimento da legislação, promovendo e ampliando as ações inclusivas e o debate acerca do racismo em nosso país.

Além de incentivar e ampliar ações que já existem, o NEABI, com a participação da comunidade escolar, busca novas propostas, novos caminhos de inserção efetiva do indígena e do afro-brasileiro em todas as esferas da sociedade, das quais foram e ainda são excluídos, em função de valores culturais e práticas institucionais discriminatórias e sectaristas.

Em sua carta de apresentação, o NEABI traz o compromisso do IFSP de reconhecer que o racismo e a discriminação ainda são práticas recorrentes. Portanto é necessário que as questões sejam postas em discussão, refletidas em todos os âmbitos do IFSP a fim de promovermos educação para as relações étnico-raciais que visa igualdade de direitos e condições de acesso e permanência por meio da valorização da diversidade e respeito mútuo.

Regulado pela Portaria Nº 2.587, de 28 de julho de 2015, o NEABI foi lançado oficialmente em 20 de agosto de 2015, em cerimônia no auditório Prestes Maia da Câmara Municipal de São Paulo.

Regulamento Interno

Mapeamento de comunidade indígenas próximas aos Câmpus IFSP

Facebook NEABI Instagram NEABI

 

DOSSIÊ NEABI

Dossiê NEABI_Histórico

Dossiê NEABI 2016-2017

Dossiê NEABI 2017-2018

 

Nomeação de membros

Portaria n.63, de 06 de janeiro de 2021

Portaria n.579, de 17 de fevereiro de 2020

Portaria n.866, de 14 de março de 2019

Portaria n.1969, 18 de junho de 2018

Portaria n.3979, de 30 de outubro de 2017

Portaria n.0847, 7 de março de 2017

Portaria n.4813, de 17 de novembro de 2016

Portaria n. 2956, de 21 de agosto de 2015

Neabi no Câmpus Avançado Ilha Solteira

Professora Rosa Amelia Barbosa - Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Lattes: http://lattes.cnpq.br/6984325208106299

Professor Marcos da Cruz Alves Siqueira - Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Lattes: http://lattes.cnpq.br/8097738870620043

 

Editais

Chamada pública - 2016

EDITAL N° 825/2019 – Chamada pública para novos membros do NEABI

Resultados

Edital nº 825/2019 - Resultado da Chamada Pública para novos membros do NEABI

Portfólio de formadores

Projetos e ações

Portaria n.1.989 de 29 de maio de 2017 Comissão de Ações Afirmativas

Resolução n.32/2017, de 02 de maio de 2017 Política de Ações Afirmativas para os cursos de pós-graduação Lato Sensu Stricto Sensu

  • Elaboraçãode material didático
  • Grupo de trabalho, organizadores do NEABI Indica;
  • Grupo de trabalho, organizadores do IV COPENE Sudeste (2021) e ENEABI (2021);
  • Grupo de acompanhamento da formulação dos Currículos de Referência, vinculado à PRE;
  • Comissão de Heteroidentificação;
  • Acompanhamento das Comunidades Indígenas e Quilombola;
  • Organização de Concurso Literário;
  • I Concurso Literário NEABI – IFSP;
  • Provimento de Bibliotecas;
  • Acompanhamento de ações afirmativas;

 

 

  Mundo negro

Material para downloads Livros

História e Cultura Africana e Afro-brasileira

BAYÓ, E.; MIRANDA, F.; SOUSA, F. Por uma escola afirmativa: construindo comunidades antirracistas. Disponível                          em: https://www.companhiadasletras.com.br/sala_professor/pdfs/PROJETO_PorUmaEd ucacaoAntirracista.pdf. Acesso em: 24 maio. 2021.

BRASIL.     Ministério    da     Educação.    Secretaria     de     Educação    Continuada, Alfabetização e Diversidade. História da educação do negro e outras histórias. Campinas, SP: Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005.    278  p.              (Educação                  para       todos).    ISBN    852960038x.    Disponível   em: http://etnicoracial.mec.gov.br/images/pdf/publicacoes/historia_educacao_negro.pdf. Acesso em: 15 maio 2017.

CARNEIRO, S. (coord.). A educação de meninas negras em tempos de pandemia: o aprofundamento das desigualdades. São Paulo: Gelédes, 2021. Disponível         em: https://www.geledes.org.br/wp-content/uploads/2021/04/A-educacao-de-meninas-ne gras-em-tempo-de-pandemia.pdf. Acesso em: 01 jun. 2021.

CARNEIRO, S. Mulheres negras e a violência doméstica: decodificando os números. São Paulo: Géledes Instituto da Mulher Negra, 2017. Disponível em: https://www.geledes.org.br/wp-content/uploads/2017/03/e-BOOK-MULHERES-NEG RAS-e-VIOL%C3%8ANCIA-DOM%C3%89STICA-decodifancando-os-n%C3%BAme ros-isbn.pdf. Acesso em: 08 mar.2021.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA;; IBGE. Relatório anual das desigualdades raciais no Brasil: 2009-2010. Rio de Janeiro: IBGE, [s.d.]. 292        p.    Disponível em: <http://www.palmares.gov.br/wp-content/uploads/2011/09/desigualdades_raciais_20 09-2010.pdf>. Acesso em: 10 maio 2017.

MACEDO, José Rivair (org.). Desvendando a história da África. Porto Alegre: UFRGS, 2008. 234 p. ISBN 9788538600190. Disponível em: https://doi.org/10.7476/9788538603832. Acesso em: 3 abr. 2020.

MORAES, Nelson Russo de (org.) et al. Povos originários e comunidades tradicionais: trabalhos de pesquisa e de extensão universitária : v.3. Porto Alegre: Fi, 2019. 618 p. ISBN 9786581512095. Disponível em:https://3c290742-53df-4d6f-b12f-6b135a606bc7.filesusr.com/ugd/48d206_8d1fee1ec 4874314b4bc230ae0ba04aa.pdf. Acesso em: 20 abr. 2021.

OLIVEIRA, Fernanda. Luciana Lealdina de Araújo e Maria Helena Vargas da Silveira: história de mulheres negras no pós-abolição do sul do Brasil. Niterói: EdUFF, 2020. 168 p. (Coleção Personagens do pós-abolição: trajetórias, e sentidos de liberdade no Brasil republicano ; v. 2). ISBN 978655831001-3. Disponível em: http://www.eduff.uff.br/ebooks/Personagens-do-p%C3%B3s-aboli%C3%A7%C3%A3 o-v2-Luciana-Lealdina-de-Ara%C3%BAjo-e-Maria-Helena-Vargas-da-Silveira.pdf. Acesso em: 3 fev. 2021.

Opiniões: Revista dos alunos de Literatura Brasileira / Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas. -n.10 (2017) - São Paulo: FFLCH:USP, 2017. Link

PEREIRA, Almicar Araújo. Paulo Silva: um contraponto nas relações raciais no Brasil. Niterói: EdUFF, 2021. 111 p. (Coleção Personagens do pós-abolição: trajetórias, e sentidos de liberdade no Brasil republicano ; v. 4). ISBN 9786558310143. Disponível em: http://www.eduff.uff.br/ebooks/Personagens-do-p%C3%B3s-aboli%C3%A7%C3%A3 o-v4-Paulo-Silva.pdf. Acesso em: 4 fev. 2021.

RODRIGUES, Giselly Barros e CRUZ, Franciely Ferreira. Negros e mulheres na Arquitetura e Urbanismo. In: Jeanine Mafra Migliorini (Org.). Divergências e convergências: Arquitetura, Urbanismo e design. Ponta Grossa: Atena, 2021. Disponível  em: https://www.finersistemas.com/atenaeditora/index.php/admin/api/ebookPDF/3930. Acesso em: 16 mar. 2021.

SESC. Vamos repensar nosso vocabulário?: racismo sutil. São Paulo , 2020. 18p. Disponível em: https://drive.ifsp.edu.br/s/P6Qyh3cgK3fip0V. Acesso em: 7 jun. 2021.

SANTOS, Ynaê Lopes dos. Juliano Moreira: o médico negro na fundação da psiquiatria brasileira. Niterói: EdUFF, 2020. 164 p. (Coleção Personagens do pós-abolição: trajetórias, e sentidos de liberdade no Brasil republicano ; v. 3). ISBN 9786558310167.  Disponível em: http://www.eduff.uff.br/ebooks/Personagens-do-p%C3%B3s-aboli%C3%A7%C3%A3 o-v3-Juliano-Moreira.pdf. Acesso em: 4 fev. 2021.

UNESCO. Njinga e Mbande: rainha do Ndongo e do Matamba. França: ONU, 2014. Disponível em: https://drive.ifsp.edu.br/s/8GRYjV0nqs8H01d#pdfviewer. Acesso em: 10 abr.2021.

VIEIRA, Rebeca de Souza; MUNIZ, Veyson Campos (org.). Direito, arte e negritude. Porto Alegre: Fi, 2021. 483 p. ISBN 9786559171088. Disponível em: http://pergamum.ifsp.edu.br/pergamumweb/vinculos/000066/000066b6.pdf. Acesso em: 24 mar. 2021.

XAVIER, Giovana. Maria de Lourdes Vale Nascimento: uma intelectual negra do pós-Abolição. Niterói: EdUFF, 2020. 90 p. (Coleção Personagens do pós-abolição: trajetórias, e sentidos de liberdade no Brasil republicano ; v. 5). ISBN 9786558310129.  Disponível em: http://www.eduff.uff.br/ebooks/Personagens-do-p%C3%B3s-aboli%C3%A7%C3%A3 o-v5-Maria-de-Lourdes-Vale-Nascimento.pdf. Acesso em: 4 fev. 2021.

História e Cultura Indígena

BRASIL. Ministério da Educação Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. Educação escolar indígena: diversidade sociocultural indígena ressignificando a escola. Brasília, DF: Secad, 2007. 133 p. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/secad/arquivos/pdf/educacaoindigena.pdf. Acesso em: 9 abr. 2021.

 Collet, Célia; Paladino, Mariana; Russo, Kelly. Quebrando preconceitos: subsídios para o ensino das culturas e histórias dos povos indígenas. Rio de Janeiro: Contra Capa           Livraria,  2014. Disponível              em: https://drive.ifsp.edu.br/s/5UNI0Rxt4WnpEJD#pdfviewer. Acesso em: 23 abr.2021.

LUCIANO, Gersem dos Santos. O índio brasileiro: o que você precisa saber sobre os povos indígenas no Brasil de hoje. Campinas, SP: Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2006. 227 p (Educação para todos ; 12). ISBN  8598171573.  Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0015/001545/154565por.pdf. Acesso em: 30 maio 2017.

OLIVEIRA JÚNIOR, Wenceslao Machado de; WUNDER, Alik (org.). Casa dos saberes ancestrais: diálogos com sabedorias indígenas. Campinas, SP: UNICAMP, 2020. 218, [6] p. (Coleção Jurema "Saberes Ancestrais e Direitos Humanos" ; v.1). ISBN 9786588816028. Disponível em: https://www.dcult.proec.unicamp.br/assets/docs/dcult/CasaDosSaberesAncestrais. pdf. Acesso em: 29 mar. 2021.

ROSADO, R. M.; FAGUNDES, L. F. C. (Org.). Presença indígena na cidade: reflexões, ações e políticas. Porto Alegre: NPPPI / SMDHSU, 2013. Disponível em <http://lproweb.procempa.com.br/pmpa/prefpoa/smdhsu/usu_doc/presencaindigen afevereiro.pdf>.

SILVA, A. L.; GRUPIONI, L. D. B. (Org.) A temática indígena na escola: novos subsídios para professores de 1º e 2º graus. Brasília, MEC/MARI/UNESCO, 1995. Disponível em:<http://www.pineb.ffch.ufba.br/downloads/1244392794A_Tematica_Indigena_na_ Escola_Aracy.pdf>.

SÃO    PAULO.    SECRETARIA    MUNICIPAL    DA    EDUCAÇÃO    DE    SÃO PAULO.Povos indígenas: orientações pedagógicas. São Paulo: [s.l.], 2019. Disponível   em: https://educacao.sme.prefeitura.sp.gov.br/wp-content/uploads/Portals/1/Files/5325 4.pdf. Aceso em: 20 abr. 2021.

História e Cultura Afro-brasileira

BRASIL. Educação antirracista: caminhos abertos pela Lei Federal nº 10.639/2003.  Brasília: MEC, 2005.  Disponível em: <https://www.livrosgratis.com.br/ler-livro-online-26934/educacao-anti-racista--caminh os-abertos-pela-lei-federal-no-1063903-colecao-educacao-para-todos>. Acesso em 11 maio. 2021

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA ALFABETIZAÇÃO, DIVERSIDADE E INCLUSÃO. Orientações e Ações para Educação das Relações Étnico-Raciais. Brasília: SECAD, 2006. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/orientacoes_etnicoraciais.pdf>. Acesso em 11 maio. 2021.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA ALFABETIZAÇÃO, DIVERSIDADE E INCLUSÃO. História e cultura africana e afro-brasileira na educação infantil.

Brasília: MEC/SECADI,  UFSCar,  2014. 144 p.; il. Disponível     em: https://www.geledes.org.br/wp-content/uploads/2014/09/Hist%C3%B3ria-e-cultura-af ricana-e-afro-brasileira-na-educa%C3%A7%C3%A3o-infantil-livro-do-professor.pdf. Acesso em 11  maio. 2021.

GOMES, N. L. Trajetórias escolares, corpo negro e cabelo crespo: reprodução dos estereótipos ou ressignificação cultural? Revista Brasileira de Educação, n 21, p.40-51, 2002. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n21/n21a03>. Acesso em 13 maio. 2016.

IBGE. Desigualdades sociais por cor ou raça no Brasil. Estudos e pesquisa: Informação demográfica e socioeconômica, n.41,p;1-14, 2019. Link

LIMA, E.; LUDEMIR, J. (org.). Dramaturgia negra. Rio de Janeiro: Funarte, 2018. 480 p. Link

LOPES, H. T. Educação e identidade. Cadernos de Pesquisa, n. 63, p. 38-40, 1987. Disponível em: <http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/cp/article/view/1267/1305>. Acesso em 13 maio. 2016.

THEODORO, M. (Org.). As políticas públicas e a desigualdade racial no Brasil: 120 anos após a abolição. Brasília:     IPEA,     2008. Disponível  em:<http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/Livro_desigualdadesraciais.pdf>. Acesso em 13 maio. 2016.

UNICEF. O impacto do Racismo na Infância. Brasília. 2010. Disponível em:<https://www.unicef.org/brazil/media/1731/file/O_impacto_do_racismo_na_infancia.p df>. Acesso em 11 mai. 2021.

História e Cultura Afro-brasileira (Quilombola)

ANDRADE, Tânia (org). Quilombos em São Paulo: tradições, direitos e lutas. São Paulo: IMESP, 1997. Disponível em <http://www.itesp.sp.gov.br/br/info/publicacoes/arquivos/quilombos_sao%20paulo_1 e.pdf>. Acesso em 02. set. 2020.

ANDRADE, Anna Maria; TATTO, Nilto (Ed.). Inventário Cultural dos Quilombos do Instituto Socioambiental. São Paulo: Instituto Socioambiental, 2013. Disponível em:<https://issuu.com/instituto-socioambiental/docs/pdf-publicacao-final_inventario>.. Acesso em: 05 maio 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Quilombos: espaço de resistência de homens e mulheres negras. 2005. Disponível em <http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&c o_obra=26835>. Acesso em 11 maio. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Ensino Médio: mercado de trabalho, religiosidade e educação quilombola. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. – Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade.  2005. Disponível      em <http://pronacampo.mec.gov.br/images/pdf/bib_volume9_dimensoes_da_inclusao_no_ensino_medio_mercado_de_trabalho_religiosidade_e_educacao_quilombola.pdf>. Acesso em 11 maio. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Estórias Quilombolas / organizadora do Projeto Histórias Quilombolas: Gloria Moura; pesquisadores: Juliane Mota e Paulo Dias. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2010. 98 p. : il. Disponível em <http://etnicoracial.mec.gov.br/images/pdf/publicacoes/estorias_quilombola_miolo.pd f>. Acesso em 11. maio. 2021.

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SÃO PAULO. Educação Escolar Quilombola. Resolução no 08/2012 do Conselho Nacional de Educação: Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Quilombola. Cartilha. Equipe. CABRAL   LIBÓRIO,   Andréia   Regina   Silva   et   al.   2018.      Disponível   em: <https://www.defensoria.sp.def.br/dpesp/repositorio/39/quilombola_cartilha.pdf>. Acesso em 11 maio. 2021.

FUNDAÇÃO CULTURAL PALMARES. Quilombos ainda existem no Brasil. Fundação Cultural Palmares (FCP), 2008. Disponível         em:<http://www.palmares.gov.br/?p=3041#:~:text=Levantamento%20da%20Funda%C3%A7%C3%20%A3o%20Cultural%20Palmares,pode%20chegar%20a%20cinco%20 mil>. Acesso em 03 jun. 2020.

LUIZ, Viviane Marinho et al (Org.). Roça é vida. São Paulo IPHAN – Grupo de Trabalho da Roça 2020.  Disponível em:<https://acervo.socioambiental.org/acervo/livros/roca-e-vida>. Acesso em 11 maio. 2021.

O’DWYER, Eliane Cantarino. Terras de quilombo: identidade étnica e os caminhos do reconhecimento. TOMO São Cristóvão - SE, nº 11 jul./dez. 2007. Disponível em: <https://seer.ufs.br/index.php/tomo/article/view/446>. Acesso em 11 maio. 2021.

SILVA, Beatriz Caitana da. A construção da (in) visibilidade da infância quilombola: o papel do Estado e do movimento social. Dissertação de Mestrado em Sociologia.      Universidade      de      Coimbra. 2011. Disponível em: <https://dlc.library.columbia.edu/catalog/ldpd:504682/bytestreams/content/content?fil ename=Beatriz+Caitana+da+Silva.pdf>. 11 maio. 2021.

Outros     materiais     relacionados    a    temática     comunidades    e/ou    povos quilombolas:  Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/educacao-quilombola-/materiais-publicados>.

Artigos/ Teses/ relatórios

  1. BARBOSA, M. S. Guerreiro Ramos e o personalismo negro. Jundiaí, SP: Paco Editorial, 2015.
  2. BARBOSA, M. S. Guerreiro Ramos: o personalismo negro. Tempo Social, vol. 18, nº 2, 2006.        Disponível     em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0103-20702006000200011>. Acesso em 13 maio. 2016.
  3. BRASIL. Educação anti-racista: caminhos abertos pela Lei Federal nº 10.639/03. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005. (Coleção Educação para todos). Disponível em: <http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me000376.pdf>. Acesso em: 13 maio. 2016.
  4. BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. PARECER N.º: CNE/CP 003/2004. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/cnecp_003.pdf>. Acesso em: 13 maio. 2016.
  5. BRASIL. Educação na diversidade: experiências de formação continuada de professores. Brasília: Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2007. (Coleção Educação para todos).
  6. BRASIL. Orientações e Ações para a Educação das Relações Étnico-Raciais, Brasília: Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e   Diversidade, 2016.                  Disponível                                   em: <http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/orientacoes_etnicoraciais.pdf>. Acesso em: 13 maio. 2016.
  7. CARVALHO, C. S. B. F. As vozes do passado no presente: memória e movimento negro (Estudo de Caso: a Legião Negra em Marília). Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Franca, São Paulo, 1996.
  1. CRUZ, L. B. Anti-racismo em Marília: trajetórias e perspectivas de luta do movimento negro atual. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2006.
  2. CRUZ, L. B. O pioneirismo de Alberto Guerreiro Ramos nos estudos sobre hierarquias raciais: a gênese de uma formação discursiva pós-colonial. Tese (Doutorado em Sociologia) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2015.
  3. CRUZ, L. B. Movimento negro em movimento. Plurais, nº 1, vol. 1, p.61-75, Salvador, jan./abr. 2010. Disponível em: <www.revistas.uneb.br/index.php/plurais/article/download/4/4>. Acesso em: 13 maio. 2016.
  4. FEITOSA, C. F. J. “Aqui tem racismo!”: um estudo das representações sociais e das identidades das crianças negras. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo, 2012.
  5. FORDE, Gustavo Henrique Araújo. A presença africana no ensino de matemática: análise dialogadas entre história, etnocentrismo e educação. 2008. 273 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Centro de Educação da Universidade Federal do Espírito Santo. Vitória, 2008. Disponível em: http://portais4.ufes.br/posgrad/teses/nometese_124_GUSTAVO%20HENRIQ UE%20ARA%DAJO%20FORDE.pdf. Acesso em: 16 abr. 2021.
  6. GOMES, N. L. Corpo e cabelo como ícones de construção da beleza e da identidade negra nos salões étnicos de Belo Horizonte. Tese (Doutorado em Antropologia) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2002.
  7. 14.HOFBAUER, A. Uma história de branqueamento ou o negro em questão. São Paulo: UNESP, 2007.
  8. LIMA, K. M. África, axis mundi: uma leitura d’O quase fim do mundo, de Pepetela. Dissertação (Mestrado em Letras) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2012.
  9. MAIO, M. C. O projeto Unesco e a agenda das ciência sociais no Brasil dos anos 40 e 50. Revista Brasileira de Ciência Sociais, vol. 14, nº 41, p. 141-158, out.  de                               1999. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbcsoc/v14n41/1756.pdf>. Acesso em: 13 maio. 2016.
  1. PAIXÃO, M.; CARVANO, L. M. (Org.). Relatório Anual das Desigualdades Raciais no Brasil; 2007 – 2008. Disponível em: <http://pfdc.pgr.mpf.mp.br/atuacao-e-conteudos-de-apoio/publicacoes/discrimi nacao/Desigualdades Raciais.pdf>. Acesso em: 23 maio. 2016.
  2. PAIXÃO, M.; ROSSETO, I.; MONTOVANELE, F.; CARVANO, L. M. (orgs.). Relatório Anual das Desigualdades Raciais no Brasil; 2009 -2010. Disponível  em: <http://www.palmares.gov.br/wp-content/uploads/2011/09/desigualdades_raci ais_2009-2010.pdf>. Acesso em: 13 maio. 2016.
  3. SOLIGO, A. F. O Preconceito Racial no Brasil: análise a partir de adjetivos e contextos. Tese (Doutorado em Psicologia) - Instituto de Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas, São Paulo, 2001.

Teses e Dissertações da CEFET

http://dippg.cefet-rj.br/pprer/index.php/pt/teses-e-dissertacoes.html

Ações afirmativas

  1. AGUIAR, M. M. A especificidade da ação afirmativa no Brasil: a experiência do Centro Nacional de Cidadania Negra em Uberaba-MG. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, São Paulo, 2005.
  2. AGUIAR, M. M. A especificidade da ação afirmativa no Brasil: o caso do Centro Nacional de Cidadania Negra em Uberaba - MG. Dourados, MS: UFGD,                    2009. Disponível em:<http://www.ufgd.edu.br/reitoria/neab/downloads/a-especificidade-da-acao-afir mativa-no-brasil>. Acesso em: 30 maio. 2016.
  3. GOMES, J. B. B. Ação afirmativa e princípio constitucional da igualdade: o direito como instrumento de transformação social: a experiência dos EUA. Rio de Janeiro: Renovar, 2001.

      4. MARCON, Frank; SUBRINHO, Josué Modesto dos Passos. Ações afirmativas e políticas inclusivas no ensino público superior: a experiência da Universidade Federal de Sergipe. São Cristóvão: UFS, 2010. 178 p. ISBN 9878578221317.             Disponível            em: <http://www.redeacaoafirmativa.ceao.ufba.br/uploads/ufs_livro_2005_FMarco n_JMdosPSubrinho.pdf>

  1. SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves e; SILVÉRIO, Valter Roberto; SILVEIRA, Oliveira; VIEIRA, Andréa Lopes da Costa; SILVA JUNIOR, Hedio; MUNANGO, Kabengele; MATTOS, Wilson Roberto; CUNHA JUNIOR, Henrique; CARVALHO, Jose Jorge de; GOMES, Nilma Lino; OLIVEIRA, Rachel de; INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Educação e ações afirmativas: entre a injustiça simbólica e a injustiça econômica. Campinas, SP: INEP, 2003. 270 p. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me000065.pdf. Acesso em: 26 abr. 2016                                           

Gênero e Racismo

  1. CARDOSO, C. P. História das mulheres negras e pensamento feminista negro: algumas reflexões. In: Seminário Internacional Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder, 2008. Florianópolis: Editora Mulheres, 2008. CD.
  2. COLLINS, P. H. Black feminist thought: knowledge, consciousness and the politics of empowerment. New York; London: Routledge, 1991.
  3. SANTOS, G. A. Mulher negra, homem branco. Rio de Janeiro: Pallas, 2004.

Literatura

  1. APA, L.; BARBEITOS, A.; DÁSKALOS, M. A.(Org.). Poesia africana de língua portuguesa. Rio de Janeiro: Lacerda, 2003.
  2. DUARTE, E. A. (Org.). Literatura afro-brasileira: 100 autores do século XVIII ao XX. Rio de Janeiro: Pallas, 2014.
  3. DUARTE, E. A. (Org.). Literatura afro-brasileira: abordagens na sala de aula. Rio de Janeiro: Pallas, 2014.
  4. DUARTE, E. A. (Org.). Literatura e afrodescendência no Brasil - Antologia crítica
  5. - 4 volumes. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.
  6. FELISBERTO, F. (Org.). Terras de Palavras. Rio de Janeiro: Pallas, 2008.
  7. MAFALDA, A. M. (Org.). José Craveirinha - Antologia poética. Belo Horizonte: UFMG, 2010.
  8. MUNDURUKU, D. Meu vô Apolinário: um mergulho no rio da (minha) memória. São Paulo: Studio Nobel, 2001.
  9. PALLAS (Org.). Contos do mar sem fim: antologia afro-brasileira. Rio de Janeiro: Pallas; Guiné-Bissau: Ku Si Mon; Angola: Chá de Caxinde, 2010.

Trabalhos defendidos no IFSP

BENTO, Gabriel Henrique Costa. Um pouco de história da ciência : um estudo sobre as contribuições de Percy Lavon Julian. 2019. 59 f. TCC (Tecnólogo em Processos Químicos ) - IFSP - Instituto Federal de São Paulo, Suzano - SP, 2019 Disponível em: &lt;https://drive.ifsp.edu.br/s/rzzPPKzispp1D6N&gt;. Acesso em: 5 jul. 2019.

BENEDITO, Winnie Aisha Teixeira; CRUZ, Leonardo Borges da (orientador). A Escola como espaço de possibilidades? repensando estruturas raciais. 2021. 40 f. TCCP (Especialização em Temas Transversais) - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, Salto, 2021. Disponível em: http://pergamum.ifsp.edu.br/pergamumweb/vinculos/000065/000065a9.pdf. Acesso em: 22 mar.2021.

DELLA VECCHIA, Patrícia Gabriela; CRUZ, Leonardo Borges da (orientador). ' Mandalas das emoções ' como método de apoio socioemocional/ relato da experiência no ensino fundamental I. 2021. 77 f. TCCP (Especialização em Temas Transversais) - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, Salto,                                                 2021. Disponível em: http://pergamum.ifsp.edu.br/pergamumweb/vinculos/000065/000065a7.pdf. Acesso em: 22 dez. 2020.

HORTA, Ariane Aparecida Roque Pereira. Educação para as relações étnico-raciais: a lei 10.639/2003 nos currículos da formação inicial do professor de matemática. 2018. 53 f. TCC (Licenciatura em Matemática) - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, Câmpus Caraguatatuba, 2018. Disponível em: <https://drive.ifsp.edu.br/s/6TZ4sEm994IENPX>. Acesso em: 7 jan. 2019.

LOPES, Yara Cristina da Silva. Inserção da história e cultura africana no meio escolar por meio do jogo africano Mancala. Caraguatatuba, 2021. 33 f. TCC (Licenciatura em Matemática) - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, Câmpus Caraguatatuba, 2019. Disponível em: https://drive.ifsp.edu.br/s/0n3E4PnpzNdpMWx. Acesso em: 22 mar. 2021.

MEDEIROS, Luana dos Santos. A formação inicial de pedagogos/as em educação para as relações étnico-raciais no Instituto Federal de São Paulo. 2021. 73 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Pedagogia) - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia, Presidente Epitácio, 2021 Disponível em: https://drive.ifsp.edu.br/s/Tx2N8kxYZoEnIYg?path=%2F2020%2FLUANA#pdfviewer. Acesso em: 7 abr. 2021.

MENDES, Lucas Vinícius Cintra; ALVES, Cathia (orientadora). Currículos e resistências/ 'libertem Ângela Davis e todos os presos políticos'. 2019. 24 f. TCCP (Especialização em Temas Transversais) - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, Salto, 2020.. Disponível em: http://pergamum.ifsp.edu.br/pergamumweb/vinculos/000063/000063f2.pdf. Acesso em: 24 nov. 2020.

ROBERTO, Daniele Fernanda. Etnomatemática e consciência cultural: uma proposta para a utilização dos sona africanos do povo cokwe no ensino introdutório do conceito de progressão aritmética e na construção do conceito de função composta. 2018. 69 f. TCC (Licenciatura em Matemática) - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, Campus Bragança Paulista, 2018. Disponível em: &lt;http://pergamum.ifsp.edu.br/pergamumweb/vinculos/00003f/00003f27.pdf&gt;. Acesso em: 23 abr. 2018.

ROSINDO, Roger Zaros. Relações étnico-raciais em cargos de gestão. estudos de caso sob a ótica dos gestores negros. 2019. 44 p. TCC (Graduação em Tecnologia em Processos Gerenciais) - Instituto Federal de Ciência e Tecnologia de São Paulo, campus São Carlos, 2019 Disponível em: &lt;https://drive.ifsp.edu.br/s/FA1IPM0hZXS76it&gt;. Acesso em: 27 ago. 

SANTOS, Fernanda Vieira da Silva. Educação e relações étnico-raciais: reflexões sobre os trabalhos da ANPEd 2008-2018. 2020. 55 p. Monografia (Especialização) - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, campus são Carlos, 2020 Disponível em: https://drive.ifsp.edu.br/s/fL1b8z2pXgID1BH. Acesso em: 4 ago. 2020.

SANTOS, Maribela Regina Karnoski dos. A identidade e o produto de luxo: estudo da Classe C. Caraguatatuba, 2014. 102 f. TCC (Graduação em Processos Gerenciais) - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, Câmpus Caraguatatuba, 2014. Disponível em: <https://drive.ifsp.edu.br/s/oe6mrmJ77KiY0G0>. Acesso em: 16 mar. 2016.

TRESCENTI, Bruna Capóia; CAPELLARI, Marcos Alexandre (orientador). A Folia de Reis como Patrimônio Cultural Brasileiro:/ o caso da Associação Companhia Folia de Reis Estrela do Oriente de Itu/São Paulo. 2020. 50 f. TCCP (Especialização em Temas Transversais) - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo,                        Salto, 2020. Disponível         em: http://pergamum.ifsp.edu.br/pergamumweb/vinculos/000063/0000630a.pdf Acesso em: 20 dez. 2020.

O Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas do IFSP (Neabi) realizará a 4ª edição do seu concurso literário. A ação tem o objetivo de promover e estimular a leitura, a produção e a difusão de textos literários produzidos por alunos e servidores do IFSP autodeclarados negros, indígenas e brancos, de modo a ampliar, de forma afirmativa, a construção de relações democráticas e igualitárias. Busca, assim, dar voz a indivíduos que discutam as lutas e conquistas étnico-raciais. 

Poderão participar estudantes, docentes, técnicos administrativos e terceirizados do IFSP, autodeclarados negros ou indígenas e também não negros, não negras e não indígenas, desde que tragam, em suas produções, uma reflexão sobre o lugar dos negros e indígenas na nossa sociedade.

As inscrições foram prorrogadas até 31/10/21 e podem ser feitas por meio do link: https://forms.gle/sJEoLR1Wzo6ULAG86

 

Publicação Acesso Arquivo
22/09/2021 PDF  Edital - 4º Concurso Literário do NEABI - IFS
Fim do conteúdo da página