Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Acessos: 464

 

Capacitação para Implantação do SUAP-Edu

II Encontro de Bibliotecários do IFSP

I Encontro de Diversidade & Inclusão  - “Conviver para Entender… Entender para Incluir”

Café Democrático - “A Reforma do Ensino Médio”

Seminário – 18 de maio – Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes
“Toda criança e todo adolescente têm o Direito de Ser e Crescer Feliz”

IV Seminário do IFSP sobre Diversidade Cultural e Educação - “Povos Indígenas, territórios e lutas – O desafio do fazer pedagógico”

Encontro Coordenadores de Registros Escolares/Acadêmicos

Encontro das Equipes de Formação Continuada – EFC

Palestra Presidente da Fundação Nacional dos Engenheiros – FNE

VIII Encontro de Coordenadores de Extensão do IFSP

 

Capacitação para Implantação do SUAP-Edu
Datas: 30 e 31 de março de 2017
Local: IFSP Câmpus Sertãozinho
Servidores: Antonio Frank dos Santos e Jaqueline dos Santos Calixto

Voltar

II Encontro de Bibliotecários do IFSP
Datas: 11 e 12 de abril de 2017
Local: ESAF – São Paulo – SP
Servidora: Rejane Galdino – Bibliotecária-Documentalista

 Voltar

I Encontro de Diversidade & Inclusão  - “Conviver para Entender… Entender para Incluir”
Data: 03 de maio de 2017
Local: ESAF – São Paulo – SP
Servidores: Anderson José de Paula; Antonio Frank dos Santos e Carla Rubia Marques

Releases

Mesa Redonda
Estudantes com Necessidades Especiais - Prof. Alberto Luís Dario Moreau
Sendo deficiente auditivo o professor formado em Física e servidor do IFSP/ITP, fez adaptações em suas aulas para esse público com atividades significativas em que aguçassem outros sentidos com o projeto de “Astronomia para todos”.

Ingresso - Prof. Fernando Costa Mattos
O professor sendo da UFABC trouxe a maneira como é feito o ingresso na referida instituição a qual difere da maneira como é feito no IF. A lei da inclusão foi aplicada em cima da ampla concorrência e não das vagas reservadas como no IF.
Ele terminou a fala dizendo que “a luta é pela promoção de igualdade e equidade”.

Permanência - Michelli Aparecida Daros
A assistente social em sua fala trouxe os impeditivos da não permanência do aluno, sendo:
• Preconceito com as reservas de vagas;
• Professores Homens em cursos tidos como machistas;
• Alunos moradia/alimentação;
• Estudantes sem auxílio.
No final de sua fala, a palestrante reafirma que “as políticas de permanência possam melhorar os índices de evasão no IF.”

Relações Étnicos-Raciais - Profª. Camila Aparecida da Silva
A professora trouxe o vídeo em que é relatado o episódio da barbárie ocorrido no IFSP Câmpus Avaré em 06 de março de 2017 por meio de frases preconceituosas na porta do banheiro feminino do referido câmpus.
Após a exibição do vídeo, ela contou como foi a repercussão dele nos meios em que ela frequenta.
O que marcou sua fala foi o relato de um aluno branco para ela: “Nunca vou saber o que você passa, mas solidarizo com sua dor.”
Camila fecha com a seguinte fala: “Eu não sou só minha cor, sou minha luta.”
Link para o vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=M5ckpCrVp9g

Gênero e Diversidade - Profª. Vânia Gomes
A professora, que faz uso do nome social, conforme portaria nº 2102/2014 e trouxe à baila a temática para a mesa, iniciando com um pouco da história recente dessas relações de gênero na escola, mostrando o quão difícil é tratar dessa temática.
Ela atentou para a postura ainda muito misógena e machista dos câmpus do IFSP, ressaltando que atua nas diversas modalidades e em vários cursos no câmpus.
Ela foi bem enfática ao afirmar que “só existe trangênero porque alguém criou gênero”, isto é, “só existe preconceito porque alguém criou o padrão”

Grupos de Trabalho
Processo Seletivo
CAE, CSP e NAPNE
No período da tarde fomos divididos e GTs para discutirmos algumas questões pertinentes ao Processo Seletivo – grupo do qual Frank pertenceu – Carla e Anderson ficaram em outros GTs nos quais discutiram “quais são as políticas institucionais que ainda precisam ser implementadas no IFSP, para que a inclusão, em todos os seus aspectos, seja efetivada?”. Já no Processo Seletivo a pauta foi as cotas e como receber o aluno cotista no âmbito do IF.
No final houve a plenária para socialização das sugestões e registros pela comissão organizadora.

Voltar

Café Democrático - “A Reforma do Ensino Médio”
Data: 09 de maio de 2017
Local: Anfiteatro do IFSP Câmpus Avançado Ilha Solteira
Servidores: Anderson José de Paula, Antonio Frank dos Santos e Camila de Carvalho Ferreira

Release

O evento denominado Café Democrático do IFSP/IST teve como tema “A Reforma do Ensino Médio” e trouxe como debatedoras: Dra. Claudia (MEC) e Dra. Karina (Diretora do IFSP Salto).
Nesse ano de 2017, em sua segunda versão, o tema escolhido para o Café Democrático foi “A Reforma do Ensino Médio”, promovida pelo Ministério da Educação (MEC). Por isso, uma representante do MEC foi convidada para participar da mesa-redonda, além de uma professora que atuou na direção da Educação Básica da Pró-Reitoria do IFSP.

Link para visualização do evento: https://www.youtube.com/watch?v=RLUOE7_24UY

 

Voltar

 

Seminário – 18 de maio – Dia Nacional de Combare ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes
“Toda criança e todo adolescente têm o Direito de Ser e Crescer Feliz”
Data: 18 de maio de 2017
Local: Plenário da Câmara Municipal de Ilha Solteira
Servidor: Anderson José de Paula

Release

Em resposta ao ofício 171/2017 do CREAS de Ilha Solteira o qual trata o assunto do 18 de maio – Dia Nacional de Combate à Exploração e Abuso Sexual contra Criança e Adolescente, eviado pelo Senhor Elias Lopes Vieira – Coordenador, o servidor Anderson José de Paula participou do referido Seminário e que foi contextualizada a Rede Protetiva da Comarca de Ilha Solteira.
Primeiro discutiu-se o conceito de Infância atualmente trazido pelo ECA, além disso o trabalho do Conselho Tutelar, ainda, os casos de suspeitas de maus tratos que devem ser feita a denúncia no MP, por fim, as consequências da revelação do abuso para com os suspeitos e os casos “Mary Ellen Wilson” e ‘Caso Aracelli”, o qual batizou o dia 18 de maio.
Continuando abordou o abuso sexual como desejo do mais forte (o uso de crianças e adolescentes para satisfação/prazer). Assim, indagou-se qual a concepção de abuso para as famílias? Como o governo pode intervir e ajudar essas crianças?
Apresentou-se os dados do abuso: pessoas do vínculo familiar (intrafamiliar) está no ápice. Porém a questão que fica: mas até que ponto intervir nessa violação de direito?
Mais adiante, foram discutidos os termos “Abuso” ou “Violência Sexual”, mostrando que há violência física, mas há também a parte sutil, além da relação de poder.
Para ilustrar isso, dividiu-se em: violência – alguém que não tem relação com a vítima – força física; sutil – dentro do ambiente familiar, pois há um interesse em conseguir de fato a relação – crescente; e a relação de poder – pessoas próximas, com certa frequência, ambiente de segredo, ameaças.
Trabalho preventivo – identificação de sinais - Prognóstico da vítima:
• Proximidade com o autor;
• Número de autores;
• Topografia do ato;
• Duração;
• Apoio dado à vítima.
Lembrando que: crianças dão sinais de que estão sendo vítimas e os autores dão sinais de que fazem.
Possível vítima: baixa autoestima, crinça quieta e que não dá trabalho, atenção ao olhar dessa criança, privações.
Para isso, as Instituições de Ensino, ONGs, Projetos – são chamadas de Rede; para a Família tem-se a PROTEÇÃO.
Precisamos entender que o foco deve ser na CRIANÇA em sua PROTEÇÃO.
Houve também um vídeo que mostrou que os abusados achavam que era coisa de sua cabeça. Por isso, não silenciar, pois o silêncio protege o acusador e não a vítima. Criação do grupo ‘Nenhuma forma de abuso”. 1º assédio – relatos – facebook.
Comparou-se a escola a um guarda-chuva, pois é na sala de aula que muitas vezes as crianças e adolescentes revelam. Assim diante de qualquer SUSPEITA encaminhar para o Conselho Tutelar, conforme ECA, pois há um protocolo de atendimento e um fluxo de atendimento, pois a meta é proteger a vítima e empoderá-la, por isso precisa de uma boa comunicação entre os serviços.
Assim cabe a essa REDE identificar os casos e não avaliá-los. Lembrando que o Conselho Tutelar deve acompanhar todos os casos.
“Toda criança e todo adolescente têm o direito e ser e crescer feliz”.

Voltar

 

IV Seminário do IFSP sobre Diversidade Cultural e Educação
“Povos Indígenas, territórios e lutas – O desafio do fazer pedagógico”
Data: 23 de maio de 2017
Local: IFSP Câmpus Pirituba
Servidores: Anderson José de Paula e Antonio Frank dos Santos

Releases

Primeiramente, o Pró-Reitor de Extensão Prof. Wilson de Andrade Matos abriu os trabalhos da manhã falando das conquistas dos últimos três seminários: a criação do NEABI - Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas - a partir do primeiro seminário o qual abordou a temática “Relações Étnico-Raciais e Gênero”; criação do NUGS - Núcleo de Estudos de Gênero e Sexualidade - a partir do segundo seminário o qual abordou a mesma temática do primeiro; criação da Comissão de estudos para viabilizar o ingresso de refugiados e imigrantes – Portaria nº 1.838 – a partir do terceiro seminário que teve como tema “Migrações/Refugiados”.

Foram duas Mesas Redondas divididas em matutino e vespertino.
Pela manhã a mesa intitulou-se:
“Povos indígenas. Sujeitos de Direitos”
Mediação: Rubens Arantes
Havia sete componentes nessa mesa que foi uma provocação ao tema, já que dos participantes, cinco eram indígenas a trouxeram à baila a questão temática do encontro “Territórios e Lutas” e mostraram um fotalecimento da cultura indígena, mesmo com toda a desconstrução de sua cultura e identidade. Além disso, o evento deu voz a eles, pois se sentem invisíveis na grande São Paulo.
A Técnica da FUNAI mostrou os ataques sofridos pelo órgão nas políticas atuais e que as aldeias entre 2013 e 2015 estão em espaços restritos.
Finalizando a manhã, o índio Sassá trouxe a parte histórica e como isso dese ser reparado na atualidade a causa indígena é de todos.
Na última fala, a missionária se posicionou conhecedora das causas indígenas, relatando as lutas compartilhadas na pastoral.

No período vespertino, a mesa intitulou-se
“Acesso e Permanência dos Povos Indígenas na Instituição Educacional”
Mediação: Ana Carolina Vila Ramos dos Santos
Havia cinco componentes nessa mesa os quais trouxeram novamente a questão de “território e lutas” a frente do acesso e permanência.
A primeira foi uma professora de Arte do IFSP/PTB trouxe um olhar pela Antropologia e a representação do índio e da cultura índigena ao longo da história em imagens. Então, vimos que era a cultura branca querendo representar o índio, porém o evento quis mostrar o quanto o índio quer ter suas próprias perspectivas.
A língua – objeto de dominação – foi retratada pelo multiplicidade linguística na mesa, pois sabemos que muitas línguas estudadas hoje eram ágrafas.
Evidenciando o recorte histórico feito de manhã sobre o Território e Lutas, continuou-se á tarde mostrando a importância de se conhecer a história pelo viés histórico e o contexto real do índio brasileiro.
Mais uma voz índigena à mesa traz para a discussão a cultura indígena mais especificamente na pergunta “Quem eles são”? e indagou sobre o acesso e permanência indígena nas universidades. Indaga ainda “Quem os ataca”? “De quem é a culpa”? “Onde começa o racismo”? Questões essas postas para o público presente, citando também os casos do índio Galdino e o caso da UFRR de hostilização. A palavra-chave da discussão foi “empatia”.
Finalizando, o índio Givanildo trouxe o apagamento identitário e os povos indígenas aldeiados.
Fechando: “Para entender uma cultura é preciso despir-se da sua.”

Voltar

 

Encontro Coordenadores de Registros Escolares/Acadêmicos
Datas: 06, 07 e 08/06/2017
Local: ESAF – São Paulo
Servidora: Jaqueline dos Santos Calixto

Release

No dia 06 de junho, a Diretora de Administração Acadêmica Andreia Ferreira da Pró-Reitoria de Ensino (PRE), deu início ao evento apresentando a Organização Didática do IFSP. Essa Organização estabelece as normas internas dentro da instituição, uma base para nortear os procedimentos administrativos e educacionais dos servidores. Em seguida foi feita uma explanação pela Pedagoga Anete Ferreira, pesquisadora institucional do NIDI (Núcleo de Informações e Dados Institucionais), sobre o ENADE (Exame Nacional de Desempenho de Estudantes), EDUCACENSO (Censo Escolar da Educação Básica) e CENSUP (Censo da Educação Superior), ferramentas indispensáveis para compreender a situação educacional do país. Ao final do dia foram discutidas as experiências e oportunidades entre os Coordenadores presentes.
No dia 07/06 foi feito um treinamento sobre o novo sistema informatizado que estão implantando no IFSP, o SUAP (Sistema Unificado de Administração Pública). Atualmente o sistema está implantado apenas para os cursos superiores, mas o intuito é unificar todos os procedimentos em relação a todos os cursos existentes no IFSP.
Por fim, no dia 08 de junho foram apresentados Conceitos Básicos de Modelagem e Processo pelo Coordenador do Escritório de Processos do IFSP Antônio Airton Palladino, gerente de BPM (Gerenciamento de Processos de Negócios), o objetivo é fazer um mapeamento de processos padronizando as funções da CRA (Coordenadoria de Registros Acadêmicos) em todos os câmpus.

Voltar

 

Encontro das Equipes de Formação Continuada – EFC